Amor e Nostalgia

"O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê".

Palavras e ideias podem mudar o mundo.

Não me agrada disputar atenção. Eu sempre vou ser a pessoa que perde, entende? A pessoa deixada, substituída, desinteressante. Não, isso não é complexo, não: é estatística. Tenho vida afora muitas provas disso e não reclamo, não interprete isso como uma reclamação. Apenas quero contar que jogo a toalha antes de entrar no ringue, por assim dizer. Jogo o meu corpo para o lado por conta própria antes de levar o soco e precisar de maca, remédios e recuperação. Já nem entro mais nas disputas; eu perdi o ar de tanto tentar.

Nunca deixe que alguém te diga que não pode fazer algo. Nem mesmo eu. Se você tem um sonho, tem que protegê-lo. As pessoas que não podem fazer por si mesmas, dirão que você não consegue. Se quer alguma coisa, vá e lute por ela. Ponto final.

Eu via as pessoas de mãos dadas nos corredores e tentava entender como tudo isso funciona. Nos bailes da escola, eu sento no fundo e imagino como muitos casais dançarão a “sua música”. Nos corredores vejo as garotas vestindo as jaquetas dos rapazes e penso no conceito de propriedade. E me pergunto se alguém realmente é feliz. Espero que sejam. Realmente espero que sejam.

A noite é dos poetas
das putas
e dos que morrem de amor.

E não importa quantas vezes eu perder o rumo voltando para casa, no meio de tanto desespero e vontade de chorar por sua culpa, da mesma forma que você acaba comigo, você me recomeça. E eu volto a sorrir, volto a me sentir vivo, como se o mundo inteiro torcesse por nossa felicidade. E dentre todas as pessoas do mundo, você é a única que me tem na mão. Quando quer. Da forma que quer. Me desenha, apaga, rabisca… completa. E eu poderia claramente descrever a paixão como a cor dos seus olhos na luz baixa, ou a curva do seu sorriso sacana no meio do beijo. Mas o amor, é só você. Inteiro. Só pra mim. Para sempre.

Sim, ele era encrenca, das boas. Eu sabia o que estava fazendo, ele também: estávamos fazendo uma coisa errada. Mas gostei da luz, dos olhos dele. Gostei que estava me encantando, gostei de não poder me encantar e mesmo assim estar me encantando.

Será que eu sou assim tão fácil de esquecer?

1 2 3 4 5 Próxima